19 fevereiro 2018

Ana Troncho ― desafio 1


Fui ao café
Era longe
E fui a pé
O sol veio hoje
Encheu-me o coração
Abriu-me o apetite
Comi sopa de grão
Olhei para o lado e vi-te
Fiquei toda contente
Ofereci-te um copo
Ficaste indiferente
Esse olhar de louco
Fez tremer toda a gente
Muito envergonhada
Derrubei o copo
Fiquei toda molhada
Saí fechei a porta
Para ti já estou morta
Não te quero ver mais
Vai dar uma volta
Para casa dos teus pais
Ana Troncho, 67 anos, Academia Sénior de Estremoz, prof Zuzu Baleiro
Desafio nº 1 – palavras impostas: pena, sorriso, fogo (outras palavras)


Celeste Bexiga ― desafio 9


Salvação
Passaram anos.....
Minha vida tinha acabado quando acabou a sua vida.
Fui com a minha filha, continuo com a minha filha.
Morri, mas para castigo a vida voltou.
Os anos passaram.
A salvação sorriu para mim.
Vi na minha alma o riso indo no caminho da minha salvação.
Não salvação total, mas salvação, para amar minhas duas almas.
Ficaram cá, para voltar a rir, com amor.
Agora, o riso curou minha dor.
Tão dolorida!
Ainda não morri.
Celeste Bexiga, 68 anos, Alhandra
Desafio nº 9 – sem usar uma letra E – história original


Arnaldo Carvalho ― desafio 1


Num dia de sol, em pleno oceano, havia uma tripulação com seu navio: procuravam uma ilha para viverem. O capitão andava muito mal disposto, sem um sorriso, porque não encontrava nenhuma ilha. Com todos os problemas e armadilhas que tinham de enfrentar, o capitão pegava numa pena que usava para escrever e escrevia o que se tinha passado.
Finalmente avistaram uma ilha, pararam o barco junto à praia, esconderam o tesouro e foram aquecer-se junto ao fogo.
Arnaldo Carvalho, 7º D, Escola Dr. Costa Matos, Gaia
Desafio nº 1 – palavras impostas: pena, sorriso, fogo


Programas Rádio Sim - semana 19 fev 2018

Todos os programas, sempre com Helena Almeida e Inês Carneiro, 

nas Giras e Discos, podem ouvir-se aqui (ou pelos links que estão em baixo).

Indicativo do programa:








- Música e letra: Margarida Fonseca Santos; 
Arranjos, direcção musical, piano e voz: Francisco Cardoso
- Histórias de Cantar CD - Conta Reconta

Horário na Rádio Sim - 17h45, todos os dias

Quer saber que histórias foram lidas? Vá por aqui:

18 fevereiro 2018

Catarina Rosa ― desafio 135


Alberto sai de casa aflito. Afinal, o esquisito episódio com Antónia não fora explícito; a troca de olhares pode ter sido apenas um acaso de retinas e o sorriso explicar-se-ia por um espasmo maxilar, ou simples demonstração de gratuito obséquio.
Alberto não é, nem nunca foi, perito em matérias de amor. Disseram-lhe ser importante requisito ser tácito numa primeira abordagem. Ah, mas eles certamente desconhecerão quão difícil é controlar o fogo que nele arde quando a vê…
Catarina Rosa, 18 anos, Portimão
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO


Margarida Freire ― desafio 20


Adelaide bebia café como uma desalmada. “Éforça da natureza”, Gritava Henriqueta. “Isso não quebra jejum. Liga mas é… Não tarda aí o pelicano que reivindica o salmão, teimoso como sempre”. 
Preparativos ultimados, vasculho na mão,  xaile ao pescoço, ziguezagueava convés fora. Zangarelho ao ombro, xícara na outra mão, bebia voluptuosamente o último gole. Tripa sorridente, rodopiava qual pernilongo oscilante, num movimento lento, justificado pela inerente hipoglicemia. Gralhas festejavam expectantes.
Desopilem, canalha”, ainda bradou Adelaide. E tombou…
Margarida Freire, 75 anos, Moita
Desafio nº 20 – usar o alfabeto duas vezes no início das palavras e por ordem! Uma vez certo, outra ao contrário


4º E, EB1 Artur Louro ― desafio RS 50


O Carlos estava mesmo desconcentrado! Apetecia-lhe descalçar-se porque tinha calos. O Pai regressou cansadíssimo! Desligou a luz e o Carlos tropeçou nas pedras frias, húmidas da construção do celeiro. Os seus pés ficaram tão congelados! O Carlos decidiu calçar umas meias grossas e quentes para descongelar os pés. O pai foi descansar enquanto o Carlos ligou a luz, sentou-se, concentradíssimo, a escrever a sua história; acabou-a, envolveu-se em sonhos e pensou: desconstruí o celeiro! Ufa! Que pesadelo.
4º E, EB1 Artur Louro, Agrupamento de Escolas Carlos Gargaté, professores Fernanda Reigada e Susana Sousa
Desafio RS nº 50 ― palavras com prefixo des


17 fevereiro 2018

Amália da Mata e Silva ― desafio 135


Esperámos ansiosos pelo som do apito para iniciar o desfile que ia passar em Vila Franca de Xira.
Estava tudo tão bonito! Mas, o mais engraçado, era o Manuel Brito... e o mais erudito.
Levava um manuscrito que ía lendo a quem o queria ouvir com as notícias do seu distrito e no fim trazia a sentença de um proscrito. De súbito, começou a chover. Parecia que a mãe Natureza também quisera vir desfilar mascarada de Tejo.
Amália da Mata e Silva, 62 anos, Vila Franca de Xira
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO


Ana Beatriz ― desafio 100


Gratidão
Novamente, nevoeiro cerrado ― não via palmo de chão! Caminhava à beira do rio, aquela frescura parecia um beijo a despertar-me. Como via muito pouco, os tropeções eram frequentes, mas conseguia equilibrar-me.
Do frio tonificante e nevoeiro intenso, apareceu um raio de luz, que rosou o ambiente envolvente. 
Não havia vento, nem brisa, apenas um ar tépido, sem movimento ― semelhante ao afago dos anjos. Não sabia como agradecer. Sentia-me leve, protegida, amada! Foi por isso que me escrevi.
Ana Beatriz, 39 anos, Lisboa
Desafio nº 100 – «e foi por isso que me escrevi»


Maria Gomes ― desafio 135


Não me lembro nem de uma palavra, quanto mais de sete! Este cérebro está mesmo bonito... Está quase como daquela vez em que tive uma branca e me esqueci do último dígito do código do Multibanco. Começo a pensar que não tenho gabarito para isto. Ainda dizem que o vocabulário português é quase infinito. Ou muito me engano, ou não conseguirei cumprir este requisito.
Vou mas é dormir! Talvez amanhã me saia o texto todo num vómito!
Maria Gomes, 37 anos, Covilhã 
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO


16 fevereiro 2018

Ana Rita Ramos Silva ― desafio RS 47


O Xaile Zangado cometeu o primeiro bárbaro crime, há muito tempo, mas conseguiu ocultá-lo bem.
Um dia, o Urso Rival descobriu a nota do seu grande erro e cometeu outro: cortou-lhe e espicaçou-lhe quatro dedos.
Ao mesmo tempo, o Urso da Hesitação, que tinha roubado a nota musical das tesouras, acabou por terminar falido.
Depois o Jaguar da Atrapalhação encontrou uma lamparina mística e conseguiu formular o desejo da solidão.
No final, a Varejeira chegou ao impossível.
Ana Rita Ramos Silva - 11 anos, Lisboa, EB 2,3 do Alto do Lumiar, 6º C, Prof Juvenal Manso
Desafio RS nº 47 – 23 palavras obrigatórias!


Íris Luna Coelho de Oliveira ― desafio RS 47


Era uma vez o Urso Místico que tinha como rival o Xaile do Oculto.
A zanga entre eles acontecera desde o primeiro dia em que se conheceram.
Sem hesitação nem atrapalhação, começou uma guerra falida e impossível.
A grande Varejeira também entra na história, porque conseguiu terminar com o crime da solidão.
Ela e os seus quatro amigos, o Dedo Falido, o Jaguar Espicaçado, a Bárbara Lamparina e as Notas do Sol, conseguiram a união entre todos.
Íris Luna Coelho de Oliveira - 5º B, 9 anos - Lisboa, EB 2,3 do Alto do Lumiar, Prof Pedro Lira
Desafio RS nº 47 – 23 palavras obrigatórias!


Carla Silva ― desafio 135


Despacito
E eis que se ouve a música que me persegue há dias. Adérito, o meu irmão, diz que é paranóia minha.
Admito que talvez seja, afinal despacito é a música da moda. Mas dá-me nervos! Tenho esse direito, não? Irrito-me só de ouvir os primeiros acordes. Ou melhor, irritava-me. E aqui fico, meio sem jeito, ao admitir que me venceram, pois também eu já vou cantarolando a dita música.
E mentalmente pergunto:
Luis Fonzi, já estás
 satisfeito?!
Carla Silva, 44 anos, Barbacena, Elvas
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO


Matilde Cristiana dos Santos Gonçalves Almeida ― desafio RS 47


O Bárbaro Místico vivia com o Urso do Oculto, que tinha mais de quatro patas, numa floresta encantada.
Primeiro o Urso resolveu espicaçar o seu grande rival Javali. Ele cometeu este crime com os dedos do Jaguar Falido …
O que ele queria era fugir da solidão!
O músico e a Nota Musical hesitaram perante o sucedido. Atrapalhados chamaram a Varejeira da Lamparina Mágica que terminou com a zanga e juntou todos através do xaile do impossível.
Matilde Cristiana dos Santos Gonçalves Almeida - 5º B, 9 anos - Lisboa, EB 2,3 do Alto do Lumiar, Prof Pedro Lira
Desafio RS nº 47 – 23 palavras obrigatórias!


Ana Paula Oliveira ― desafio 135


O diretor Adérito, professor de educação física, lançou um desafio: o primeiro a chegar à meta ganharia a medalha de honra da escola e representá-la-ia nos europeus de atletismo. Bonito serviço arranjou!
De temperamento esquisito, autointitulado o maior atleta da escola, todo expedito para mostrar o seu gabarito, o rapaz partiu em grande velocidade, antes de ouvir o sinal. Tinha como intuito provar que ninguém o superava. Não correu bem. Mal arrancou, caiu estatelado, o pobre Tito.
Ana Paula Oliveira, 57 anos, S. João da Madeira
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO


Iara Pinto Fernandes ― desafio RS 47

Primeiro o urso espicaçou o seu rival jaguar, com o dedo da solidão, até ao lugar do impossível.
A varejeira viu este bárbaro crime e horrorizada acabou por terminar com o seu grande voo.
O falido que passava também viu tudo. Primeiro atrapalhou-se… hesitou… Depois ocultou esta zanga à sua filha Iara que, tal como sempre, o acompanhava.
A Iara aquecia-se num xaile e queria quatro lamparinas mágicas que a ajudassem no caminho místico da solidão.
Iara Pinto Fernandes - 5º B, 10 anos - Lisboa, EB 2,3 do Alto do Lumiar, Prof Pedro Lira
Desafio RS nº 47 – 23 palavras obrigatórias!

Sérgio Felício ― desafio 11


Em direções opostas
Golfinho Willy macho ― Sim, querida, o que é que vamos fazer hoje?
Golfinho Jacqueline fêmea ― Podíamos ir pelo oceano em direção a uma ilha no Panamá, onde a água é cristalina e à noite podemos ver as estrelas.
― Sim, querida, sim, podemos ir, mas não pode ser muito perto da costa, por causa dos perigos.
― Podemos mergulhar e entrar pela gruta!
― Tu vais pela gruta que eu pulo por entre as montanhas.
Partiram, então, em direções opostas.
Sérgio Felício, 37 anos, Coimbra
Desafio nº 11 – diálogo com frase final imposta: Partiram então em direções opostas.


António Vaz ― escritiva 28

Se queres conquistar uma menina bonita, segue os passos que te vou indicar.
Primeiramentevai passear a um parque e senta-te ao lado da rapariga mais gira que lá houver. Depois, conversa com ela, saudando-a delicadamente. Seguidamente, diz-lhe que andas no ginásio, mostra-lhe os teus bíceps e pede-lhe o número de telefone. Elogia ainda a sua roupa e o seu perfume. Cuidado para não levares um estalo!
Finalizando, toca-lhe no cabelo e marca o primeiro encontro.
Infalível!
António Vaz, 14 anos,– Colégio Paulo VI, Gondomar, prof.ª Raquel Almeida Silva
Escritiva nº 28 ― manuais de instruções


Luana Neves ― desafio 121

Eu ainda não creio no que fizeste! Deixaste-me por ler! Talvez não saibas, no teu aniversário deram-te dois livros: eu e o outro! Era a mim que devias ter lido! Contudo, tu leste o outro e deixaste-me no cesto que deixas debaixo da cama! E é muito escuro lá dentro...
Estou repleto de expressões de rara beleza. Por que escolheste o outro?! Foi porque a capa era mais bela? Ora, não se julga um livro pela capa!
Luana Neves, 11 anos - Colégio Paulo VI, Gondomar – prof.ª Raquel Almeida Silva
Desafio nº 121 – 3 inícios de frase impostos


Leonardo Filipe da Silva Reis ― desafio RS 47


Primeiro o Leonardo cometeu um bárbaro crime.
Um crime impossível.
Ele entrou com uma grande lamparina na noite do urso, para lhe roubar uma nota de dez euros, mas o urso estava falido.
O urso tornou-se amigo da sua rival solidão.
Era uma solidão mística que roía e espicaçava quatro dedos.
Um dia, apareceu a Senhora do Xaile Oculto que queria terminar de lavar a loiça com o jaguar, porém a varejeira zangada não deixava.
Hesitação?
Atrapalhação!
Leonardo Filipe da Silva Reis -11 anos, Lisboa, EB 2,3 do Alto do Lumiar, 5ºB, Prof Pedro Lira
Desafio RS nº 47 – 23 palavras obrigatórias!