03 maio 2017

Dia 3 de Maio, 18h30, Buchholz - 77 palavras

Juntem-se a nós!

Vamos conversar sobre os desafios, as histórias, o projecto.

Desafios em 77 palavras,

um livro da Edicare,

numa livraria de que tanto gosto,
a Buchholz, junto ao Marquês de Pombal em Lisboa

24 abril 2017

Programas Rádio Sim - semana 24 Abril 2017

Todos os programas, sempre com Helena Almeida e Inês Carneiro, 

nas Giras e Discos, podem ouvir-se aqui (ou pelos links que estão em baixo).


Indicativo do programa:








- Música e letra: Margarida Fonseca Santos; 
Arranjos, direcção musical, piano e voz: Francisco Cardoso
- Histórias de Cantar CD - Conta Reconta

Horário na Rádio Sim - 17h45, todos os dias


Lúcia Costa ― desafio escritiva nº 18 Programa Rádio Miúdos 24ab17

Estava na sala com a minha irmãzinha, a ensinar-lhe os sons dos animais (Ela já sabe o da vaca muuuu, o pato quá quá, o gato miauuuu, o cão ão ão, …), quando oiço a panela a borbulhar plop. Veio um cheirinho tão bom, hihami!

22 abril 2017

Isabel Lopo ― desafio escritiva nº 19

O velho copo de cristal recordava-se de fazer parte do melhor serviço da casa. Agora, por ser o único que sobrara, vivia numa vitrine, mesmo baço e lascado.

Mónica Marcos Celestino ― desafio nº 52

Silêncio 
Mudas ficarão nas vagas tabernas
as melodiosas cordas das guitarras
bocejando entre aromas de ginjinha.

Theo de Bakkere ― desafio escritiva nº 19

Um maço de poemas
Queria ressurgir como um maço de poemas, escrito na língua materna de Camões de qual sou amante. Além, nas terras lusófonas, encontrarei sempre um leitor ou um ouvido dócil que tal prosa saiba

Natalina Marques ― desafio escritiva nº 19

O teu dono nunca repôs a letra que perdeste.
Foste posta de parte, esquecida num canto, porque agora há um novo teclado.

Andrea Ramos ― sem desafio

Não vale a pena desesperar – o amanhã será bem melhor!
Encontrei a tristeza, ela queria aprisionar-me, puxava-me os cabelos e espancava-me com força.
O lago de lágrimas surgiu.

20 abril 2017

Sandra Évora ― desafio RS nº 48

Fui trezentas, fui mil
camponesa, nobre senhora, artesão.
Fui mel, fui vil,
Pássaro, peixe e leão.

Chica ― desafio escritiva nº 19

Os velhos cucos
Reentrou na casa dos pais. Fechada. 
Mãe na clínica, pai morto. 

Margarida Fonseca Santos ― desafio escritiva nº 19

Estou tramado com isto. É uma despromoção e tanto! Quando era importante, fechava uma embalagem de preciosos conteúdos informáticos (dizem, que a mim nunca me deram informação

Desafio Escritiva nº 19

Eu confesso que gosto de reutilizar tudo e mais alguma coisa, que fico feliz quando posso dar uma segunda vida ao que quer que seja e adoro, adoro, adoro, comprar coisas em segunda-mão. Ora, isto faz com que eu imagine muitas vezes como foi a vida anterior de um determinado objeto, como era o seu dono, se foi bem ou maltratado, esse tipo de coisas inúteis para o progresso do Mundo, mas que a mim me deixam bastante mais tranquila.

Ora é exatamente isso que proponho desta vez: imaginem como foi a vida de um determinado objeto, por que atribulações passou, que sacrifícios teve que fazer. Eu deixo-vos aqui um dos muitos exemplos que vos podia dar, já que me dedico a imaginar vidas passadas em objetos do quotidiano.

Tinha nascido para ser lata, coisa herdada de família a que não se atreveu a dizer que não chegado o momento de acolher, mesmo contrariada, aquelas sardinhas. Se ainda fossem umas lulas recheadas, um bacalhau com grão, mas sardinhas... O que não imaginava é que acabaria no meio do mato, numa ração de combate convertida finalmente em cinzeiro. De repente, sentiu saudades do mar e das sardinhas, respirou fundo e conseguiu ainda sentir aquele cheiro a escama.
Paula Cristina Pessanha Isidoro, 35 anos, Salamanca
Desafio Escritiva nº 19 - vidas passadas de objetos


19 abril 2017

Turma do 1º ano ― sem desafio

Triiiiiiiiiimmm!
Nem precisava de despertador…
A minha irmã, irritada com aquele som estridente, resmungava de forma eloquente:

Andrea Ramos ― desafio escritiva nº 14

Princípio 6.º - A criança precisa de amor e compreensão
Minha filha rodeava-te o jardim da vida, em tardes amenas gostavas de lá passear, cantando as melodias que te ensinei.

Andrea Ramos ― desafio escritiva nº 14

O princípio nº 7 - Direito à educação (…)
Não te deixaram brincar. Queriam fazer-te homem à força.
(Ninguém tinha esse direito!) Direitos tinhas tu e não o sabias. Limitavas-te a obedecer.

18 abril 2017

Lia Cunha ― desafio nº 59

Hoje é o meu “dia não”: não acordo a horas. Vou tomar o pequeno-almoço, não há pão. Abro o frigorífico, não há leite. Desenrasco-me, como e vou lavar os dentes, e não há pasta.

Mariana Garcez ― desafio nº 109

Na aldeia, atapetaram de flores aquele caminho que ia dar à igreja, só para tu passares.
Levitei por entre um nevoeiro de Outubro que descia às ruas e se derretia nos becos. Ar não havia

Andrea Ramos ― desafio RS nº 48

Envelhecer…
Ela viu-se ao espelho. Espanto o seu… não compreendia aquele olhar, nem o rosto manchado. Virou-se. De lado, os ombros pareciam carregar uma tonelada. Porquê aquela figura de um dia para o outro?

Rosário Ribeiro ― desafio nº 61

Estou tentada a tirar-te daqui. Dentro tenho espaço. Tenho vivido tanta coisa tão estranha tramada por ti, que tenho de te largar. Todos podemos ter momentos terríveis. Todos nós temos dias! Mas tu finges